Last Updated:

Guia: LinkedIn para pessoas desenvolvedoras - 12 passos para um perfil chamativo!

Nawarian
Nawarian carreira

Não importa se você é iniciante ou se já está na área faz tempo, a apresentação pessoal normalmente não é o forte de quem trabalha com desenvolvimento de software... Eu vim aqui te ajudar justamente com isso!

Eu trabalho com desenvolvimento de software há 10 anos, e há pouco mais de um ano trabalho como gerente de time de desenvolvimento. Já entrevistei muita gente, fiz seleção e o que mais você puder imaginar no processo seletivo.

Eu também conversei com vários profissionais, tanto com desenvolvedoras de software quanto com gerentes e recrutadoras, para entender quais são as informações chave que você deve trazer no seu LinkedIn para chamar a atenção do jeito certo!

Não importa se você está começando ou é Júnior, Pleno ou Sênior. Ao final deste artigo você vai entender direitinho tudo o que precisa fazer pra tornar o seu perfil no LinkedIn mais atrativo e começar a receber convites para entrevistas 😎

Todo documento tem um público alvo

Antes de começar qualquer coisa, eu quero deixar claro que absolutamente tudo o que você escreve precisa ter um público alvo. No caso do LinkedIn, o seu público alvo são empresas e recrutadoras.

Tudo, absolutamente tudo que você escrever precisa levar em consideração quem vai ler: empresas e recrutadoras. Não adianta usar jargão pra todo lado, e piadas de código muitas vezes não vão funcionar. E muito menos deixe coisas implícitas.

Por exemplo, se você escreve no perfil que trabalhou com "testes" e com "javascript" não é necessariamente óbvio para uma recrutadora que você conhece a ferramenta "jest". Deixe tudo explícito o máximo que puder!

Com o seu público alvo em mente, vamos dar um tapa no seu perfil a começar pelo básico.

O básico que TODO perfil precisa ter no LinkedIn

Aqui eu quero agradecer demais a Isabela Norton (@isanortontech) pelas dicas. A Isabela é recrutadora especializada em vagas de desenvolvimento e de tecnologia, contrata pra trabalhar na gringa e usa LinkedIn como sua ferramenta principal pra encontrar candidatas. Já segue perfil dela agora pra receber mais dicas e receber vagas bacanudas na sua timeline.

A partir da nossa conversa ficou claro pra mim que muita gente peca no básico e deixa de incluir informações essenciais para uma pessoa recrutadora encontrar seu perfil.

Lembre-se: o seu público alvo são empresas e recrutadoras. Como estas pessoas vão te encontrar? Através de buscas avançadas.

"Eu preciso de uma pessoa que saiba JavaScript, React e TDD, que esteja em Minas Gerais e fale inglês". Pense em quais termos serão buscados a partir desta frase. Você tem estes termos no seu perfil?

Para te ajudar a criar o seu perfil no LinkedIn eu vou deixar aqui algumas dicas e o passo a passo para começar, em ordem de facilidade.

Passo 1: idiomas que você fala

Pra você que nasceu no Brasil é óbvio que seu idioma materno é o Português, mas ninguém no LinkedIn sabe da sua nacionalidade. E mesmo que soubesse, indicar todas as línguas que você fala é importantíssimo para que pessoas no estrangeiro também encontrem seu perfil.

Para adicionar os idiomas que você fala, vá até a página do seu perfil e role a página até a seção "Idiomas" e clique no sinal de adição (+) como na imagem abaixo:

Meu perfil no LinkedIn, foco na seção de idiomas.
Meu perfil no LinkedIn, foco na seção de idiomas.

Após selecionar o idioma, defina a sua proficiência com aquele idioma e pronto:

Selecionado o idioma Russo, e proficiência básica.
Selecionado o idioma Russo, e proficiência básica.

Caso tenha dúvida sobre o que cada nível significa, aqui vão algumas dicas:

  • Básico: você consegue falar bom dia, identificar algumas palavras em um texto, mas não necessariamente falar naquele idioma;
  • Limitada: você consegue comunicar sobre o seu trabalho de forma suficiente, mas não necessariamente desenvolver uma conversa sobre um tópico. Por exemplo você sabe pedir um code review, ler por cima uma documentação...;
  • Profissional: você consegue desenrolar conversas sobre o seu dia a dia no trabalho, talvez com uma gambiarra linguística aqui e ali, e ler documentações sem muita dificuldade;
  • Completa: você consegue falar com proficiência total no contexto de trabalho, e com pouquíssima frequência se pega procurando por palavras ou formas de explicar uma frase;
  • Nativo ou bilíngue: você aprendeu a falar aquele idioma desde criança.

Para muitas vagas, inclusive no Brasil, é importante falar inglês. Indique seu nível de proficiência em inglês no seu perfil. Mesmo que seja apenas básico.

Passo 2: descrição do seu perfil

A descrição do seu perfil é o lugar perfeito pra descrever o que você procura e dá valor. Está em busca do primeiro emprego? Quer experiência profissional com uma linguagem diferente? Precisa mudar de cidade? Ou tá buscando transicionar de carreira? Este é o espaço pra tu escrever sobre isso!

Este campo é importantíssimo para que recrutadoras consigam entender quais vagas encaixam no seu perfil e necessidades.

No meu perfil eu indico o que atualmente é mais importante para recrutadoras saberem sobre mim: meu foco em desenvolvimento para web, meu interesse por liderança, comunidade e aprender coisas novas. Meus valores incluem honestidade e comunicação direta. E eu quero trabalhar do Brasil.

Com estas informações eu deixo claro para qualquer visitante do perfil que não estou interessado em pequenas aventuras, em empresas com ambiente tóxico meritocrático e que não estou disposto a "vestir a camisa e trabalhar horas a mais" e nem faria com que meus times façam algo assim.

Para alterar a descrição do seu perfil, vá ao topo da página até a seção "Sobre" e clique no ícone do lápis para editar:

Perfil do LinkedIn mostrando a seção "Sobre".
Perfil do LinkedIn mostrando a seção "Sobre".

Uma caixa de texto se abrirá na sua tela. Adicione as informações mais relevantes sobre você nesta caixa de texto. Quer trabalhar remoto ou do escritório? Quer trabalhar em qual cidade? Com qual linguagem? Está procurando uma empresa inclusiva? Escreve aqui:

Perfil do LinkedIn mostrando a tela de edição da descrição do perfil.
Perfil do LinkedIn mostrando a tela de edição da descrição do perfil.

A descrição do seu perfil é uma das primeiras coisas que recrutadoras vão olhar. Coloque as informações mais importantes ali e não tenha medo de escrever algo pessoal.

Passo 3: uma boa foto de perfil

Você não precisa pagar por uma sessão de fotografia profissional, e nem posar de roupa social pra câmera. Mas uma foto em que só você aparece e que dê para ver seu rosto cai bem.

Pessoalmente eu não sou muito fã dessa coisa de expor foto no perfil, mas isto aparentemente importa para quem busca. Ao ver uma foto padrão, aquele placeholder cinza, eu imediatamente ignoraria o perfil. Mas um avatar do tipo cartoon eu até acho aceitável.

O ideal, porém, é uma foto sua. Vamos colocar alguns parâmetros de qualidade aqui:

  • Só você aparece na foto;
  • Sem óculos escuros;
  • Sem chapéu/boné;
  • Sem máscara (as coisas que a pandemia me obriga a escrever, hein...)
  • Foto relativamente recente

Para alterar a foto do seu perfil, navegue até o topo da página, clique na sua foto atual e a seguinte tela deverá aparecer pra ti:

Tela de edição da foto de perfil no LinkedIn.
Tela de edição da foto de perfil no LinkedIn.

Clique no botão "Adicionar foto" com ícone de câmera. Depois escolha fazer  o upload de uma foto. Ao escolher qual foto subir, ajuste o zoom e corte até que a foto fique adequada:

Ao escolher uma foto de perfil no LinkedIn, ajuste o zoom, posição e filtros corretamente.
Ao escolher uma foto de perfil no LinkedIn, ajuste o zoom, posição e filtros corretamente.

Notou como nesta foto tem outra pessoa e uma garrafa de álcool? Não é exatamente o que eu gostaria de mostrar no meu perfil. Então tome cuidado para remover estes elementos da foto ao ajustar o zoom.

Eu, pessoalmente, não vejo problema nenhum em usar uma foto como a acima. Apesar de ser muito pessoal e totalmente fora do contexto de uma empresa, ela diz algo sobre mim. E eu estou confortável em transmitir esta imagem e deixar claro que sou um ser humano que tem gostos e se diverte.

Considere também que eu já tenho uma década de experiência e um perfil competitivo. Seguir os mesmos passos para quem está começando talvez seja um tiro no pé.

A foto do seu perfil transmite uma mensagem a quem visita seu perfil, tome cuidado para não transmitir uma mensagem que acabe te prejudicando.

Passo 4: habilidades

Você sabe Reactjs? Sabe PHP? E CSS?

É importantíssimo colocar estas habilidades no seu perfil. Quando uma recrutadora busca por perfis que se encaixam numa vaga, normalmente estas habilidades do perfil ajudam a fazer o match.

Mesmo que você não se sinta 100% proficiente com aquela habilidade, marque que a possui. O importante aqui é que encontrem o seu perfil.

Para adicionar habilidades ao seu perfil, navegue até a seção "Habilidades" e clique no botão "+":

Seção de habilidades, e o botão "+" em foco.
Seção de habilidades, e o botão "+" em foco.

Uma tela com diferentes opções vai se abrir pra ti. Escolha uma habilidade daquela lista ou escreva e encontre na lista o que quer descrever. Na imagem abaixo eu estou adicionando a habilidade Blogging (escrever em blogs):

Escolhendo a habilidade "Blogging" para adicionar ao meu perfil.
Escolhendo a habilidade "Blogging" para adicionar ao meu perfil.

No LinkedIn é possível que uma pessoa endosse a sua habilidade. Alguém pode ir até o seu perfil e dizer "olha, esta pessoa MANJA de JavaScript"...

O que eu aprendi depois de conversar com diferentes profissionais de recrutamento é que: ninguém se importa com estes endossos. É bacana ter, mas eu não investiria muita energia em pedir endosso.

Adicione habilidades ao seu perfil para que recrutadoras te encontrem mais facilmente. Não invista muito tempo pedindo endosso de outras pessoas, eles não são tão importantes.

Passo 5: experiências e descrições

Acho que está claro para todo mundo: se você tem experiência profissional, adicione a empresa, cargo e período no LinkedIn. Este é o básico!

Uma reclamação comum que eu recebo de recrutadoras é que os perfis normalmente não descrevem o que a pessoa fez naquele cargo, e isso é importantíssimo pra saber em quais contextos as suas habilidades foram executadas.

O que é interessante para quem analisa o seu perfil:

  • Com quais tecnologias a pessoa trabalhou;
  • Quais responsabilidades aquela pessoa teve;
  • Qual o tamanho do time/empresa com que a pessoa já teve experiência;
  • Qual era o estilo de colaboração? Scrum, Kanban, Go horse...

Eu também acho importante colocar o que você curtiu daquela experiência e alguma conquista sua.

Para adicionar descrição às suas experiências, role até a seção "Experiências" e clique no ícone do lápis para editar as experiências atuais:

Seção de "Experiências" no perfil do LinkedIn.
Seção de "Experiências" no perfil do LinkedIn.

Uma nova tela com cada experiência vai aparecer. Selecione uma experiência que ainda não possua descrição, e clique no ícone do lápis para editar:

Página de edição de experiências profissionais.
Página de edição de experiências profissionais.

Ao final da página que irá se abrir você encontra uma caixa de texto chamada "Descrição" onde você pode adicionar mais informações sobre o que fez naquela posição:

Página de edição de experiência profissional. Foco no campo "Descrição".

Note que para aquela experiência eu procurei indicar os desafios e conquistas que eu superei e obtive. Se fosse uma experiência como programador, eu teria indicado as tecnologias, a escala, o estilo de trabalho, um projeto que tenha coordenado e por aí vai.

Adicione uma descrição que indique o que fez, como fez, com quais tecnologias, desafios e conquistas para cada experiência profissional descrita no seu perfil!

Não se esqueça de honrar os termos de confidencialidade que assinou no passado. É importante dar informação, mas cuidado para não abrir segredos da empresa aqui!

Passo 6: monitore a sua conduta e imagem online

Todas empresas onde eu trabalhei não fazem isso, mas já recebi muito relato de empresas que dão o famoso stalk em quem se candidata: verificam facebook, instagram, twitter...

Portanto monitore a sua imagem e, se possível, mantenha seus perfis separados. O perfil do LinkedIn monta uma imagem profissional de si, e as outras redes uma imagem pessoal. Eu recomendo não misturar as duas.

E todos nós sabemos como o LinkedIn virou um grande grupo de whatsapp da família: gente mandando vídeo e GIF aleatório de estórias "inspiradoras" inventadas. Há muito espaço pra gente escrota e pra ser escrota ali.

A minha dica: Nem todo mundo sabe, mas o LinkedIn mantém um resumo das suas atividades. O que você publicou, curtiu, comentou... Esta é uma forma simples e fácil para recrutadoras entenderem melhor quem você é e alguns traços da sua personalidade.

Seção de atividades no perfil do LinkedIn.
Seção de atividades no perfil do LinkedIn.

Não seja escroto no LinkedIn. E se tiver algo que pode diminuir suas chances de arranjar um emprego ou ser alvo de preconceito – sabemos bem o que pode causar isso – evite mostrar aqui.

Eu, comunista safado, não conecto redes que não são relevantes ao trabalho e evito expor minha posição política no LinkedIn. Quem se considera queer, por exemplo, talvez queira seguir o mesmo caminho.

E eu concordo que se a empresa é retrógrada ninguém deveria querer trabalhar lá em primeiro lugar. Mas eu também entendo que as vezes tanto faz o trabalho porque a vida não para, e muito menos os boletos param de chegar.

O passo além: como destacar o seu perfil frente aos outros

O que eu descrevi até este ponto é o básico do básico. Se você ainda não fez, para aqui e vai fazer!

Daqui pra frente a gente começa a deixar o seu perfil mais atrativo. São alguns pequenos passos que vão chamar atenção e ajudar as empresas e recrutadoras a te chamarem pra uma entrevista.

Passo 7: altere o seu título para atrair visitas

O seu título é aquilo que aparece logo abaixo da sua foto de perfil. Aquele é um espaço incrível para oferecer informações úteis a quem olha o seu LinkedIn.

Perfil do LinkedIn com o título em destaque.
Perfil do LinkedIn com o título em destaque.

Note que este título não precisa necessariamente ser a sua experiência, mas sim algo relevante para quem contrata!

Muitas vezes este título pode ser o motivo para uma recrutadora clicar no seu perfil ou não. Se uma vaga é para Pleno e seu título diz "Procurando estágio" ou "Em transição" provavelmente seu perfil será descartado antes mesmo de ser aberto!

Caso você seja iniciante ou esteja em transição de carreira, use o título do seu perfil para indicar qual carreira quer seguir. Você não precisa trabalhar com programação para ser Developer, você só precisa desenvolver software. E isso você pode fazer mesmo sem trabalhar como developer, por exemplo através de contribuições com Open Source ou de projetos pessoais.

Suponha que eu decidi que quero mudar a minha carreira um pouco e me especializar em Golang. Eu já li alguns livros e fiz umas aplicações de brincadeira. Um título útil seria "Desenvolvedor sênior se especializando em Golang".

Não precisa mentir e nem inventar. Apenas deixe claro o que você quer que as pessoas saibam sobre você.

Para alterar seu título, vá ao topo da página e clique no ícone do lápis à direita da sua foto de perfil:

Perfil do LinkedIn: clique no lápis para editar seu título.
Perfil do LinkedIn: clique no lápis para editar seu título.

A tela de edição irá aparecer. Seu título fica logo abaixo dos pronomes pelos quais quer que te chamem. Note que o título não precisa ser a mesma coisa que a sua posição atual.

Alterar título do LinkedIn. O título não precisa ser o mesmo que a sua posição atual!
Alterar título do LinkedIn. O título não precisa ser o mesmo que a sua posição atual!

Escreva no título do seu perfil o que vai fazer com que empresas e pessoas recrutadoras cliquem no seu perfil!

Passo 8: peça recomendações, e recomende!

Isto é algo que eu pequei muito por bastante tempo, mas recomendações são uma ferramenta incrível para transmitir maior confiança a quem emprega.

Naturalmente você não pode recomendar a si mesmo. Você vai precisar pedir recomendações de outras pessoas.

Recomendações não ajudam tanto a mostrar como são suas habilidades em determinada tecnologia, mas sim se você consegue trabalhar bem em time, se o time aprende de você ou mesmo se você é uma pessoa confiável.

Tela de recomendações do perfil do LinkedIn.
Tela de recomendações do perfil do LinkedIn.

Peça recomendações de professoras, instrutoras, colegas de trabalho, gerentes, amigas...

Se você pedir a 4 pessoas, com certeza ao menos 2 irão lhe recomendar 😉

Outra coisa que a gente tende a esquecer é que por natureza o ser humano tende a ser recíproco (exceto em São Paulo 👀 – piadas que só um paulistano pode fazer). Se você parar escrever uma recomendação para 10 pessoas, provavelmente ao menos 1 vai te escrever uma recomendação de volta.

Então além de pedir recomendações, recomende! Mesmo que seja uma recomendação curtinha. Em 1 hora por semana você consegue escrever recomendações o suficiente pra turbinar o seu perfil!

Não apenas peça recomendações, recomende!

Passo 9: certificações

Este é um ponto controverso. Por experiência própria e relato de diferentes recrutadoras, eu sei que certificações não contam muito no perfil do LinkedIn. Muitas vezes serão ignoradas até mesmo durante suas entrevistas.

Mas há dois casos em que certificações são úteis:

  • para que te encontrem na busca do LinkedIn; e
  • para áreas pouco conhecidas ou que exigem um selo de confiabilidade

Por exemplo, empresas que trabalham com blockchain podem precisar de uma pessoa desenvolvedora que saiba CORDA. Como é uma tecnologia relativamente nova, a certificação ajuda em muito a demonstrar que você domina aquela tecnologia.

Outro bom exemplo são as profissões de Agile Coach, Scrum Master ou mesmo para quem se especializa em SAP ou Salesforce.

Mas a certificação em PHP pra ti talvez não faça muita diferença. A não ser que a empresa exija certificação. O mesmo vai para AWS e outras...

Para adicionar certificações, vá ao topo do seu perfil e clique no botão "Adicionar licença ou certificação":

Perfil do LinkedIn: adicionar certificação
Perfil do LinkedIn: adicionar certificação

A tela a seguir irá aparecer. Você pode indicar o nome da certificação, quem emitiu o certificado e a data:

Tela: adicionar licença ou certificação ao seu perfil do LinkedIn.
Tela: adicionar licença ou certificação ao seu perfil do LinkedIn.

Invista em certificações apenas para áreas que realmente precisam. Seu tempo será mais bem gasto trabalhando em outras áreas do seu perfil, ou lendo um livro.

Passo 10: links alternativos

Eu já participei de conferências, tenho meu próprio blog, tenho um Github que me dá bastante orgulho, já ajudei a organizar o maior podcast de ciência em linha reta da América Latina e quiçá de Pernambuco.

Todos estes projetos e referências são importantes pra mostrar quem eu sou e com o que me importo: programação, ciência, compartilhar conteúdo, comunidade...

Para adicionar um link alternativo, navegue até a seção de destaques do seu perfil e clique no botão "+" e selecione se quer adicionar um artigo, um post dentro do LinkedIn, um link, uma foto ou vídeo, etc.:

Adicionar destaques ao perfil do LinkedIn.
Adicionar destaques ao perfil do LinkedIn.

Adicione links alternativos que dêem credibilidade ao seu perfil. Adicione entrevistas, palestras, vídeos seus ou artigos que tenha escrito.

Passo 11: veja o perfil de outras pessoas e copie o que gostar

Esta, na minha opinião, é uma das melhores dicas. Obrigado novamente, Isabela Norton (@isanortontech)!

A melhor forma de entender se eu perfil está bom ou não é comparando com outros perfis. Mas não caia na besteira de querer comparar habilidades, viu? Estou falando de comparar informação disponível.

Faça o seu dever de casa: procure 5 perfis que você segue no LinkedIn, ou de influenciadoras por lá e anote o que você gostou e não gostou.

O próximo passo é simples: copie o que gostou, evite o que não gostou 😉

Passo 12: indique que está a procura de trabalho

Nem todo mundo está procurando novas oportunidades agora. Uma forma fácil de indicar que você está é marcando no seu perfil do LinkedIn.

No topo do seu perfil há um botão azul dizendo "Aberto à...". Clique naquele botão e selecione a opção "Encontrar um novo emprego", como na imagem abaixo:

Menu: aberto a encontrar um novo emprego.
Menu: aberto a encontrar um novo emprego.

A próxima tela vai te perguntar que tipo de trabalho você está procurando e quem você quer que veja que está a procura de emprego. Você pode, por exemplo, mostrar pra todo mundo mas esconder da sua empresa atual:

Aberto a encontrar novo emprego, e quem vê que estou disponível.
Aberto a encontrar novo emprego, e quem vê que estou disponível.

Indique que está aceitando novos empregos e aguarde diferentes contatos 😉

Dica bônus: como aumentar sua visibilidade na rede

Lembra quando eu te disse sobre manter seu público alvo em mente?  Essa dica é um exemplo perfeito disso! Vamos brincar com o algoritmo do LinkedIn.

💡 Você sabia?

A busca do LinkedIn mostra apenas conexões até o terceiro grau para quem não é premium.

Pois é, se a recrutadora não tiver uma conta premium no LinkedIn a busca será limitada. Levando em consideração que uma licença premium custa cerca de R$ 600,00 eu não assumiria que todas empresas e recrutadoras usam LinkedIn premium.

Caso você não entenda bem o que são conexões de terceiro grau, dê uma olhada nesta explicação no centro de ajuda do próprio LinkedIn.

Portanto se você quer aumentar suas chances de ser encontrada por empresas e recrutadoras com e sem LinkedIn premium há uma forma relativamente simples de resolver este problema: criando mais conexões.

Adicione pessoas à sua rede. Pessoas com quem você já estudou, com quem trabalhou, influenciadoras ou até mesmo pessoas dentro da empresa para qual você quer trabalhar.

Quanto mais pessoas você adicionar à sua rede e quanto mais pessoas existirem na rede delas, maiores serão as suas chances de aparecer numa busca do LinkedIn.

Dica de ouro, vai! Merece um compartilhamento no Twitter e seguir o perfil da Isabela (@isanortontech) e o meu, Nawarian (@nawarian).

Conclusão

Estes 12 passos vão te ajudar em muito a deixar o seu perfil pronto para o primeiro contato com empresas e recrutadoras. Lembre-se sempre do seu público alvo ao escrever qualquer coisa no seu perfil!

É claro que a coisa não para por aqui. Você precisa entender como formatar seu Github, como gerenciar outras redes e por aí vai.

Tudo isso é só o começo, viu? A intenção é atrair o primeiro contato e permitir que te alcancem com mais facilidade. O que vai determinar sua contratação ou não serão suas entrevistas e habilidades técnicas e interpessoais.

Um grande abraço e te vejo na próxima! 👋

Comments